Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Você sabia que hoje é comemorado o dia das manicures? Nós do Studio W queremos aproveitar a data para homenagear e agradecer todas as manicures do Brasil e em especial às da equipe W, que tratam das nossas mãos com tanto capricho e cuidado.

COMO TUDO COMEÇOU…

Acredita-se que o hábito de pintar as unhas surgiu entre 3500 a 3100 aC, no Egito. As mulheres egípcias aplicavam nas unhas uma tintura escura, feita a base de henna.

Naquela época, a coloração do esmalte indicava a classe social de cada um: os tons mais intensos eram usados pela nobreza, e os mais claros eram usados pelas mulheres de classe mais baixas.

Entre os chineses, as cores no esmalte também tinham poder de distinção social. Na China antiga, por volta de 3000aC, as unhas compridas eram cultuadas como sinônimo de nobreza e os guerreiros, em demonstração de poder e coragem, pintavam as unhas de preto antes de partirem para a batalha. Durante a dinastia Chou, as mulheres da realeza utilizavam cores específicas que as diferenciassem das mulheres comuns. Inicialmente, os tons usados eram o dourado e o prateado, mas com o passar do tempo, as cores mudaram para o preto e o vermelho. Já a classe baixa só podia usar tons mais claros, e caso alguém que não pertencesse a realeza fosse visto usando “cores reais”, era executado.

Não há muitos relatos sobre os cuidados com as mãos até mais ou menos o século XIX. Nesse período, os cuidados eram restritos às unhas curtas, polidas com couro macio e levemente perfumadas com óleo.

Em 1830, o médico Dr Sitts criou o primeiro instrumento de manicure que é utilizado até hoje: o pau de laranjeira. Com ele, a cutícula pode ser empurrada levemente para trás, sem feri-la. Em 1892, a sobrinha do Dr Sitts apresentou um novo método de cuidados , que incluíam palestras sobre como tratá-las da melhor maneira. Nessa época, começam a surgir os primeiros salões de manicures.

A criação do esmalte, como conhecemos hoje, foi desenvolvida no início do século XX, e teve como inspiração as tintas para carros. Em 1927, os irmãos Revson, o químico Charles Lachman e a maquiadora francesa Michelle Menard, tiveram a ideia de criar um produto para colorir as unhas que saísse com um solvente e fosse fácil de armazenar. O primeiro esmalte começou a ser vendido em 1932, em um pote de porcelana, que continha uma pequena quantidade de creme, passado no meio das unhas (a meia lua e a ponta das unhas ficavam nuas), resultando em um tom rosa, bem natural.

O interesse pelos esmaltes cresce cada vez mais. Muitas estrelas de Hollywood são referência no assunto, como aconteceu com a febre das unhas vermelhas. Inicialmente , o esmalte era comercializado nos salões de beleza e cabeleireiros e só em 1937 começou a ser vendido nas lojas de departamentos e drogarias francesas.

Hoje, depois de muitos anos de desenvolvimento e aperfeiçoamento, temos a sorte de contar com uma infinidade de cores e texturas, que agradam e realçam a beleza de muitas mãos.

Imagens: Reprodução e Studio W

Publicado em 14 junho, 2011

One Comment

  1. Posted by Laura on

    Matéria mais do que perfeita! Parabéns!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *