A busca pela beleza sempre esteve presente na história do ser humano. Desde os registros das primeiras sociedades aos dias de hoje, a preocupação com a beleza e toda a complexidade que ela envolve (fins estéticos, espirituais, fatores econômicos, entre outros) foram temas de reflexões de historiadores, teólogos, filósofos e estudiosos em geral.

Com isso em vista, é possível perceber que ao longo do tempo, a busca e o conceito do que é belo mudaram muito e sempre estiveram ligados a desejos e aspirações, servindo dessa forma, como um meio de entender um pouco mais sobre a identidade e realidade de uma época. Nós do Studio W somos apaixonados por beleza e é para falar um pouco sobre isso, conceitos e história, que criamos essa nova coluna aqui no blog do Studio W: “A beleza ao longo dos séculos”.

Para começar, vamos voltar lá na pré-história, onde as primeiras manifestações de preocupação com o corpo (não necessariamente para fins estéticos) começaram a aparecer:

Os primeiros sinais de vaidade
Os primeiros sinais de vaidade foram percebidos na Pré-História, quando o homem começou a se reunir em grupos e fixar na terra. A partir disso, surgiu uma diferenciação hierárquica, na qual os chefes (geralmente os mais fortes do grupo) passaram a se enfeitar com as garras e dentes dos animais ferozes que caçavam.

Foi nessa época também que alguns historiadores e estudiosos consideram que surgiu a primeira manifestação de “maquiagem”. Tudo isso porque muitos homens pintavam o próprio corpo, pois acreditavam que a “pintura de guerra” lhes traria mais força e afastaria o mal e os predadores. Como as mulheres ficavam dentro dos assentamentos, os homens eram os que mais se cobriam com essa mistura de graxas e pigmentos coloridos.

A composição desses elementos que era constituída de uma mistura de fuligem com gordura animal, também era usada como uma forma de proteger a pele e como diferenciação durante os rituais. Entre as cores mais comuns encontradas nos sítios arqueológicos estavam o amarelo, o preto e o vermelho, esse último foi inclusive muito observado em locais de sepultamento de corpos e em decorações de ossos, madeira e couro. Também foram encontrados alguns objetos auxiliares e ferramentas de ornamentação, como espécies que lembram pinças, lâminas, espelhos e utensílios para aplicação de pigmentos.

Não podemos falar de beleza sem citar a representação mais famosa da beleza feminina do período que é a “Vênus de Willendorf”, também conhecida como “Mulher de Willendorf”. Uma estatueta de aproximadamente 11cm, esculpida entre 24.000 e 22.000 a.C., que foi descoberta no sítio arqueológico do paleolítico, situado perto de Willendorf, Áustria.

Nunca foi encontrado algum registro que indique que ela seja um retrato totalmente realista, por isso há diversas correntes de pensamento em torno dela. Alguns acreditam que suas formas volumosas nas regiões dos seios, vulva e barriga carregam um conceito de fertilidade, outros defendem que além da referência à fertilidade, a corpulência representa um elevado estado social numa sociedade caçadora e ainda há os que acham que ela servia como uma espécie de amuleto.

Nos próximos posts da coluna, vamos continuar abordando a história da beleza e dos produtos de make e hair até chegarem à forma como conhecemos hoje, mas sem seguir necessariamente uma ligação cronológica entre eles, ok? Fiquem ligados!

Fotos: reprodução.

Publicado em 7 agosto, 2013

2 Comments

  1. Posted by Leonardo Folene on

    Teniendo en cuenta que el ideal de belleza si modela y si transforma que con los años, según las necesidades y la realidad social del tiempo en cuestión, es totalmente razonable que la “Venus de Willendorf” es la primera representación de un ideal de belleza! Teniendo en cuenta que en ese momento que el ser humano tendría q pelear por comida, o sea, comida era de difícil acceso para la humanidad, una mujer gorda podría representar claramente la belleza porque ella no parece carecer de alimentos y salud, eso sería suficiente para considerarlo un ideal de belleza. Muy interesante post, increíblemente estimulante, espero que venga más! 😀

  2. Posted by Clovis batista on

    gostaria de agradecer pois mesmo muito sucinto o assunto mas deu um norte a maiores pesquisas, mas sse houvesse um outro artigo sobre a beleza da mulher da pré historia. Obrigado