Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A coluna “boniteza”, da jornalista Heloísa Negrão, no jornal Folha de São Paulo, trouxe uma matéria especial, repleta de dicas, sobre coque rosquinha, com o hairstylist Ricardo Rodrigues, do Studio W Higienópolis. Confira:

“Uoou”, ouve-se no salão quando Ricardo Rodrigues transforma um rolinho de cabelo em um coque estilo rosquinha. O cabeleireiro do Studio W gaba-se de ter inventado a técnica, que dispensa enchimentos.

O segredo é prender pontinha do rabo-de-cavalo no formato de um minicoque. Ao redor dele, enrole o cabelo como se fosse um rocambole. Prenda no topo da cabeça, com delicadeza, abra o rolinho como se fosse um leque até formar toda a circunferência do ‘donut’, como se fosse um leque. Prenda com grampos na parte debaixo.

Veja o passo-a-passo dos coques

TENDÊNCIA

Enquanto montava coques de todos os tipos e em todos os ângulos da cabeça da modelo Thuane Fisher, Ricardo afirmou que esse penteado é uma excelente aposta para o inverno. Nas últimas duas semanas de moda (Rio e São Paulo) não faltaram moças com o cabelo todo amarrado –dentro e fora das passarelas.

A frente do cabelo bem esticada acompanha o visual. Nos fios grudados à cabeça, o aspecto brilhante é resultado de uma cera com acabamento molhado, e não do gel.

Segundo Ricardo, o grande diferencial desses penteados é a perfeição. “Refaço dez vezes se for preciso”, diz. Por isso, antes de serem presos, os fios são muito bem escovados e ainda recebem algumas boas passadas de chapinha. O gel desfaz o liso, explica o cabeleireiro. Por isso, as moças que tem os fios ondulados, cacheados ou crespos, devem optar pela cera com acabamento molhado.

Para deixar a risca bem marcada, Ricardo já faz a escova no “formato” que o cabelo vai ficar. Outra dica importante é fazer a divisão lateral na diagonal, levemente inclinada em direção ao meio da cabeça. “Assim, quem olha de frente, vê o traço reto”, explica.

A cera é passada aos poucos. Duas gotinhas para cada mecha larga de cabelo, que são ajeitadas com pente fino, sempre penteando para trás. Com o pente em uma mão e o laquê em outra, Ricardo passava e repassava o pente, para que nenhum fiozinho ficasse fora do lugar.

O rabo-de-cavalo perfeito é feito a quatro mãos. Enquanto uma pessoa puxa bem e segura todo o cabelo com uma das mãos para dar a primeira volta com o elástico, uma mão “ajudante” segura o cabelo para ele não levantar. O elástico super fino também pode exigir uma ajudinha extra na hora de puxar o cabelo para se fazer a segunda volta.

“Jamais passe o pente depois que estiver preso”, alerta. Para arrumar possíveis cabelinhos rebeldes, ele borrifa laquê e passa o cabo do pente delicadamente.

Nesse penteado super simples, a parte mais difícil é fazer o rabo-de-cavalo perfeito. Feito isso, ele pode ser usado sozinho ou transformado em coque.

Versatilidade, que segundo Ricardo, pode ser usada pelas noivas. Usa o coque para o casamento na igreja e o rabo-de-cavalo na festa. Para isso, basta tirar três grampinhos.

PRODUTOS UTILIZADOS:
– Spray Wax e Wax Works (cera com efeito molhado) ambas da marca Paul Mitchell
– pente fino
– Elásticos de silicone da cor do cabelo (loiras podem usar os transparentes)

Coluna de Heloísa Negrão – Imagens: Luiza Sigulem/Folhapress

Publicado em 6 março, 2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *