Lavar, pentear, secar, deixar crescer, cortar, alisar, enrolar, raspar, são muitos os hábitos e situações cotidianas nos tratos com os cabelos. Afinal, qual mulher ou homem não se preocupa diariamente com essa parte do corpo?

O cabelo, apesar de não ter função fisiológica vital, está intimamente ligado na construção da nossa identidade pessoal e na relação que temos com a nossa aparência e auto estima. Uma ida a um bom cabeleireiro é capaz de levantar em pouco tempo o nosso astral e nos ajudar a sentir muito mais confiantes e sedutores.

Mas você sabia que esses hábitos que nos parecem tão comuns são cheios de significados e história? E que os cortes e penteados de uma época pode nos dizer muito mais sobre os modos de vida de uma civilização do que a gente imagina? Pois é, no “O Livro do Cabelo”, da autora Leusa Araújo, descobrimos isso e muito mais.

Fruto de seis anos de pesquisa, o “Livro do Cabelo” vai muito além de penteados e modismos. Em suas páginas, é retratada a história dos cabelos ao redor do mundo não apenas pelo viés da moda, mas sim do contexto e dos movimentos sociais por trás de cada novo estilo.

Ele nos convida a pensar sobre quanto dos nossos rituais cotidianos de lavar, pentear e manter o cabelo estão repletos de significados. Revela também o quanto de participação teve o cabelo na vida do homem, no passado até o presente, em diferentes épocas e lugares do mundo.

Durante a leitura – recheada de fotos – é possível encontrar ótimas histórias sobre barbeiros, cabeleireiros, a chegada do shampoo e das tinturas, entre outras, e sobre todos os tipos de cabelos, seja liso, crespo, colorido, ondulado, branco, etc. E o mais bacana é que se engana quem pensa que esse livro é voltado apenas para o público feminino, pois nele são contadas histórias que abrangem tanto o “cabelo” da mulher quanto do homem.

Sobre a autora: Leusa Araújo é escritora, jornalista e pesquisadora. Durante a pesquisa desse livro, Leusa buscou fundamentação teórica em estudos de antropologia e sociologia, além de referências em músicas, filmes e novelas. Esse é seu segundo título de não-ficção, depois de “Tatuagem, Piercing e outras mensagens do corpo” (2005, Cosac Naify).

Imagens: reprodução do livro.

Publicado em 5 abril, 2013

One Comment

  1. Posted by leusa araujo on

    Wanderley Nunes está citado na pág 164, no capítulo O Cabeleireiro. Abraços